24 de novembro de 2016

Eu não faço a menor ideia do que estou fazendo com a minha vida

Não! Não vou fazer resenha sobre o filme da Clarice Falcão que tem esse titulo (Sim! Ela tem um filme com esse titulo – muito ruim por sinal. Sorry, Clarice. Nada pessoal!)

O que me levou a escrever esse post foi uma situação bem pontual que aconteceu comigo. Prefiro não contar a história, pois é algo bem particular, mas vou compartilhar o que ela me fez refletir.

Quem nunca passou por uma crise existencial? Seja pela idade, pela situação profissional ou pessoal. Se tu já teve, tu sabe do que estou falando. Se tu não teve, saiba que nesse momento estou com um pouquinho de raiva de ti hahahahaha Mentira! Tô não! Mas que tu é um baita sortudo, isso é!

Certas coisas e pessoas nos levam a nos perguntar o que queremos da vida e geralmente a gente sabe o que quer ou finge que sabe pra evitar a culpa e o julgamento alheio por não saber. Tanto faz! O problema é que podemos escapar aqui, mas não ali. Uma hora não vamos mais poder fingir. Temos que escolher um caminho a seguir.

Uma vez, numa consulta com meu homeopata ele me disse: “Tu só vai saber o caminho caminhando.”

Segui o conselho dele e fiz o que eu tinha medo de dar errado. Deu certo! Obrigada, Dr! Mas em outras decisões não fui tão feliz assim. Tá e daí, Pricila? Onde tu quer chegar com isso?

É tanta cobrança o tempo inteiro que a gente aprende que ter resposta na ponta da língua pra saciar a curiosidade dos outros é mais importante do que olhar pra dentro e perceber aquilo que de fato nos faz bem e te move. A vida nos empurra, nos obriga a escolher e nem sempre acertamos. Admiro quem diz que nunca se arrependeu de nada. Eu me arrependo de tantas coisas que nem caberia num post. Me julguem!

Eu já quis tantas coisas, já tive tantos empregos, estudei coisas diferentes, namorei caras tão legais (um ou outro nem tanto). No meio de tanto “quero isso” e “quero aquilo”, me perdi. Escolhi certo, mas também escolhi muito errado e foi a soma disso tudo que me levou a abrir o laptop pra escrever esse post. Quantas pessoas nesse momento devem estar sentindo o mesmo que eu?

Tu acha que ta indo no caminho certo, mas só o caminho certo te dá bons frutos. Por outro lado, errar é tão bom quanto acertar. Juro! Se não fossem meus erros, eu jamais saberia dos meus acertos, porque não teria com o que comparar. E nada como um belo repertório de erros pra nos trazer até aqui (no fundo), refletir, questionar e reorganizar nossa bagunça interna até que ela comece a fazer sentido outra vez.

O medo de não saber o que fazer da vida nos impede de enxergar e de dar o primeiro passo. Não tenha medo de errar ou de se arrepender. Tenha medo de carregar tanto peso até que isso te faça ficar imóvel.

Beijo cheio de batom vermelho!

 

Comentários

  1. Olga

    Muito boa a sua reflexão, Loirinha. Temos que ver a vida com esses olhos reflexivos mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *